Regras de viagem na pandemia: tudo que você precisa saber para embarcar com segurança

Desde o começo de 2020, a rotina dos passageiros pelos aeroportos de todo o planeta foi totalmente alterada em função da pandemia da COVID-19. Depois de quase dois anos de pandemia, muitos cuidados ainda são necessários e algumas medidas de segurança continuam sendo exigidas pelas companhias aéreas e pela administração dos terminais.

Por isso, se você tem previsão de embarcar nos próximos dias, vale dar uma olhada em quais procedimentos tomar antes da viagem para evitar transtornos.

Confira a resposta para algumas dúvidas frequentes dos viajantes:

É preciso fazer o teste de COVID-19 para viajar de avião dentro do Brasil?

Não. O teste negativo de COVID-19 não é uma exigência em voos domésticos no Brasil.

É preciso fazer o teste de COVID-19 para viajar para o exterior?

Depende do país de destino e das eventuais conexões. Cada país estabelece suas próprias regras de entrada, variando inclusive de acordo com a origem do viajante. Assim sendo, recomendamos que as informações sobre a necessidade de teste negativo de COVID-19, bem como de comprovação de vacina ou de quarentena no desembarque, sejam revisadas e acompanhadas com regularidade pelo viajante.

Uma dica é acompanhar o Portal Consular do Ministérios das Relações Exteriores, que disponibiliza uma lista atualizada periodicamente com as condições impostas por cada país aos viajantes do Brasil

Geralmente, o viajante deve apresentar teste laboratorial RT-PCR (nariz e garganta) com resultado negativo/não reagente para Covid-19, realizado com antecedência mínima de 72h antes do embarque, bem como apresentação de formulário preenchido. Alguns países exigem QR Code no PCR. Mais um exemplo das diversas especificidades que podem existir, reforçando a necessidade de consultar tudo com muita atenção.

Vale ressaltar que o descumprimento de qualquer destas medidas de segurança pode resultar no impedimento de embarque e/ou de entrada no país de destino. Para maiores informações, é recomendável ainda a consulta à embaixada do país de destino e ao site da IATA ou Sherpa, que apresentam restrições de entrada específicas para cada destino considerando origem, status da vacinação, conexões, nacionalidade e data da viagem.

É permitido viajar para o exterior sem tomar as duas doses da vacina e/ou a dose de reforço?

Depende do destino. As exigências variam de país para país. É preciso consultar as regras vigentes do país de destino e também das eventuais conexões. Vale lembrar que passageiros brasileiros que retornam ao país também estão sujeitos às regras específicas que implicam em quarentena, dependendo de onde o viajante esteve nas últimas semanas. Recomendamos que siga os passos da pergunta anterior! 🙂

Para viajar dentro do Brasil é preciso apresentar comprovante de vacinação?

Não. Para viagens domésticas a comprovação da vacina não vem sendo exigida em 2021.

Qual tipo de máscara é exigido nos aviões?

Antes de tudo, é bom lembrar que o uso de máscara passou a ser obrigatório por lei (14.019/2020) no Brasil desde 2020. Ou seja, você não irá embarcar em nenhum aeroporto sem ela. Porém, visando maior segurança de passageiros e tripulantes, em março de 2021, com o agravamento da COVID-19 no Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) definiu que alguns modelos do equipamento não devem ser usados nas dependências dos aeroportos, nem dentro das aeronaves. Veja máscaras você NÃO deve usar:

  • lenços, bandanas de pano e outros materiais que não são considerados máscaras de proteção;
  • máscaras de plástico ou acrílico;
  • protetor facial (face shield) sem uma máscara por baixo;
  • máscaras com válvula de expiração (modelos N95 e PFF2 sem válvula estão permitidos);
  • máscaras caseiras com apenas uma camada de tecido.

Vale lembrar que, segundo o protocolo da Anvisa, só estão dispensados do uso de máscaras:

a) Pessoas com transtorno do espectro autista, deficiência intelectual, deficiências sensoriais ou qualquer outra deficiência que as impeça de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial, conforme declaração médica;

b) crianças com menos de 3 (três) anos de idade.

Além disso, vale sempre checar o site da companhia aérea e do aeroporto em questão alguns dias antes da viagem, para verificar se há alguma novidade em relação aos protocolos.

Se eu estiver com sintomas, posso viajar?

Em caso do aparecimento de qualquer sintoma, é preciso procurar imediatamente um hospital ou unidade de saúde para atendimento médico, que também pode ser realizado on-line, em alguns casos. O embarque só deve acontecer depois que a suspeita estiver descartada por laudo médico.

Se eu testar positivo depois de comprar a passagem, posso pedir reembolso?

Depende da política de cada companhia aérea. Geralmente, o reembolso não ocorre, mas muitas empresas permitem a remarcação da passagem com isenção da multa quando o passageiro testa positivo para a COVID-19 poucos dias antes da viagem. Vale destacar que, em alguns casos, apesar da isenção da multa normalmente praticada, a diferença tarifária é cobrada, ou seja, a diferença entre o valor da data original do bilhete e a nova agendada pelo cliente.

Por isso, é aconselhável conhecer as políticas da companhia em questão na hora de comprar a passagem.

Mesmo com as nossas dicas, você teve problemas em sua viagem?

Caso ele tenha sido ocasionado pela companhia aérea, contate nosso suporte! Faremos uma avaliação do seu caso e te orientaremos sobre possibilidades para receber uma compensação.

E se você está procurando passagens com preços promocionais, consulte nossos atendentes e faça uma cotação para seu destino. Você já conhece a VAY? Somos a melhor distância entre o seu querer e o chegar.